2 de junho de 2015 às 11:43h

Secretarias de Caruaru repudiam agressão à Procurador

A Secretaria Especial da Mulher e Direitos Humanos de Caruaru enviaram uma nota de repúdio à agressão sofrida por um procurador, sua irmã, o seu namorado e um taxista que tentou ajudar o trio, na saída da Estação Ferroviária, por volta das 2h30. Eles foram atacados com socos e pontapés por um grupo de 20 pessoas, no dia 31 de maio.
 
As secretarias classificaram a ação com “episódio inaceitável de homofobia”, afirmando que “a atitude nefasta desses sujeitos demonstra a persistente truculência do ideário homofóbico e o quanto ainda se precisa avançar para que todas e todos possam exercer seus direitos com respeito e igualdade. A homofobia direta e indireta não só atinge a população LGBT, mas também outras pessoas que de alguma maneira se comportam fora dos padrões heterossexuais.
 
A HOMOFOBIA irradia-se por todas as classes, segmentos, instituições e espaços sociais. Este episódio atesta o quanto a luta da população LGBT permanece imprescindível para avançarmos numa sociedade democrática. Dessa forma, a Secretaria Especial da Mulher e Direitos Humanos de Caruaru ratifica seu repúdio à violência homofóbica, bem como seu compromisso incondicional com a causa da igualdade de direitos das populações LGBTs e as iniciativas de enfrentamento e prevenção de todas as formas de violência. Assim convidamos vocês a fazerem parte da luta contra a homofobia e em defesa de mundo com mais igualdade. Com essa firmeza, nos colocamos à disposição da família daqueles que tiveram seus direitos violados e persistiremos na cobrança firme para que as investigações ocorram com seriedade e justiça. Nosso desejo é o de que possamos viver de fato um ambiente livre de todas as formas de violência, tipificando atitudes como essas como uma grave violação aos direitos humanos da população LGBT”
, diz a nota.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.