26 de outubro de 2016 às 09:26h

Sistema Pirangi vai abastecer dez cidades do Agreste a partir de Janeiro

Localizado às margens da PE-120, no município de Catende, na Mata Sul, o Sistema Pirangi é considerado uma das soluções para atender dez municípios do Agreste, entre eles, Caruaru, que enfrentam os efeitos do quinto ano consecutivo de seca.
 
De acordo com a Compesa, o projeto está 60% concluído e deve ficar pronto em janeiro de 2017, beneficiando mais de 800 mil pessoas. A obra é um investimento de R$ 60 milhões, recursos garantidos pelo convênio assinado entre o governo do Estado, Compesa e Banco Mundial.
 
“Essa é uma obra que terá um papel fundamental para melhorar o abastecimento de água de cidades do Agreste. Imprimimos um ritmo acelerado, que nos permite cumprir os prazos das etapas. É muito importante manter esses prazos porque janeiro é um momento crítico que nós estamos prevendo para o Prata”, salientou Paulo Câmara.
 
Segundo o presidente da Compesa, Roberto Tavares, o Sistema Adutor do Pirangi vai permitir a regularização da vazão da Barragem do Prata, localizada na cidade de Bonito, em 500 litros por segundo. “O Prata terá água durante todo o ano e não apenas no inverno”, revela Tavares.
 
Dessa forma, será ampliada a oferta de água para Caruaru, e também para outras nove cidades da região, são elas: Santa Cruz do Capibaribe, Toritama, Agrestina, Altinho, Ibirajuba, Cachoeirinha, Cumaru, Passira e Riacho das Almas.
 
O Sistema do Pirangi é composto por uma captação de água no rio Pirangi, em Catende, que irá transportar água por meio de uma adutora com 27 quilômetros de extensão até a Barragem do Prata, e que atende cidades do Agreste, entre elas, Caruaru. Duas estações elevatórias (sistemas de bombeamento) garantirão o funcionamento do sistema, que está sendo construído em tempo recorde. “Iniciamos as obras em junho deste ano e estamos correndo para finalizar as intervenções em janeiro de 2017, conforme determinação do governador Paulo Câmara, observou o presidente da Compesa, Roberto Tavares. A obra é executada com jornada estendida, durante alguns dias da semana, de acordo com o Roberto Tavares, com o intuito de acelerar a conclusão do empreendimento.
 
“Desde que a Barragem de Jucazinho, em Surubim, entrou em colapso, nós estamos fazendo arranjos operacionais, aumentamos os rodízios para atender mais cidades, e estamos atendendo ou reforçando o abastecimento por meio de carros-pipa. Agora com Pirangi será possível reforçar água para Caruaru, reduzir o rodízio e aliviar a situação das demais cidades,” finalizou Tavares.
 


Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.