23 de Fevereiro de 2018 às 10:00h

Caruaru: prazo para desconto na cota única do IPTU encerra nesta sexta-feira

A Secretaria da Fazenda de Caruaru  informa que o prazo para pagamento da primeira parcela do IPTU ou a cota única com desconto encerra nesta sexta-feira (23).
 
O carnê 2018 deve ser retirado através do Portal do Contribuinte. Além disso, os boletos referentes ao IPTU deste ano podem ser adquiridos no Centro Administrativo da Prefeitura, Av. Rio Branco, 315
 

23 de Fevereiro de 2018 às 09:42h

Criação de ministério de segurança pública “não é sangria desatada”, diz Marun

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, demonstrou não haver urgência do governo na criação do ministério da Segurança Pública. Ele disse que o governo ainda define os detalhes de criação do órgão, inclusive a forma como isso se dará: se por Projeto de Lei, decreto ou Medida Provisória. Marun também descartou a possibilidade de criação de impostos para custear gastos com segurança pública.
 
“A organização disso [para criar o novo órgão] está sendo estudada. Por isso que esse ministério ainda não foi anunciado e nem foi estabelecida a forma legal para a sua criação”, disse em conversa com jornalistas no fim da tarde dessa quinta-feira (22). Ao ser perguntado se o ministério sairia do papel na próxima semana, ele adotou um discurso paciente: “Na semana que vem ou na outra. Não há uma sangria desatada”.
 
Segundo ele, o governo ainda não definiu um nome para o ministério. Marun, no entanto, negou haver dificuldades para encontrar a pessoa certa para o cargo. “Não existe dificuldade em encontrar um nome. Existe um cuidado de encontrar um nome que o presidente Temer considere adequado para o exercício de funções de tanta responsabilidade”.
 
Na opinião do ministro, o perfil do chefe do novo ministério deve ter qualidades técnicas e políticas. “Eu entendo que é uma função que é preciso conhecimento técnico e também o traquejo político. É o meu entendimento, mas essa é uma escolha do presidente Temer, que entende muito mais do que eu. Ele foi secretário de Segurança duas vezes”.
 
O orçamento do novo ministério virá de recursos já previstos. Marun explicou que as entidades já existentes que vão compor o órgão vão trazer consigo seus orçamentos. “Haverá o remanejamento de recursos e a utilização de recursos orçamentários já previstos, de várias organizações que passarão a compor esse ministério, por exemplo, a Polícia Federal. Ela tem seu orçamento e esse orçamento vem. Polícia Rodoviária Federal também”, disse. “São órgãos que têm orçamento e esses orçamentos migrarão para o Ministério da Segurança Pública junto com as responsabilidades pela execução dos trabalhos”, completou.
 
Novos impostos – O ministro também comentou a criação de impostos para custear a segurança pública no país. O assunto veio à tona quando o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou que Temer o consultou sobre a possibilidade da criação de um imposto para custear gastos com segurança pública. Maia já havia negado esta possibilidade e Marun foi além: o governo não criará nenhum novo imposto.
 
“O governo não cogita a criação de nenhum novo imposto e da mesma forma não tem essa intenção com a segurança pública. O governo não cogita a criação de novos impostos e isto eu afirmo de forma peremptória. Até o fim do ano. Isso está absolutamente fora de cogitação”.
 
Da Agência Brasil
 

23 de Fevereiro de 2018 às 09:39h

Macaco encontrado morto em Caruaru não oferecia risco de febre amarela

Um macaco do tipo sagui foi encontrado morto, nesta quinta-feira (22), no bairro Nova Caruaru, em Caruaru. Entretanto, de acordo com a Secretaria de Saúde do município, o bicho já estava em estado de decomposição e, praticamente, não existe nenhuma possibilidade de transmitir a febre amarela, pois no local não existe mata.
 
O grupo analisou ainda que não há nenhum foco de Aedes aegypti na localidade, transmissor da doença. Os restos do animal foram recolhidos e encaminhados para uma empresa de descarte de lixo contaminado.
 
A Secretaria lembra ainda que o macaco não transmite a febre amarela, ele serve como sentinela para identificação da doença. O transmissor da doença é o mesmo mosquito que causa aa dengue. Caso as pessoas encontrem algum primata morto, não devem tocar no animal e ligar, imediatamente, para Vigilância Sanitária, através do número: 3701.1407 ou pelo whatsapp: 9.8384.5380.
 

23 de Fevereiro de 2018 às 09:36h

Deputada pede campanha sobre a Febre Amarela na Feira da Sulanca

Uma campanha para orientar sobre a febre Amarela foi solicitada pela deputada Estadual Laura Gomes (PSB), à Secretaria Estadual de Saúde. O foco da campanha seriam os comerciantes e compradores da Feira da Sulanca de Caruaru.
 
O objetivo é esclarecer a população, como informar sobre medidas preventivas e a necessidade de vacinação em caso de viagens para as zonas de ocorrência da doença, devidamente catalogadas pelas autoridades de saúde.
 
“As pessoas, sem o devido esclarecimento, pensam a febre amarela como ameaça imediata e extrema, quando se sabe que a nossa região não está na área de risco da epidemia. O medo leva a várias atitudes irracionais como a de matar macacos e saguins, por exemplo. Nossa sugestão à Secretaria de Saúde é que promova campanhas educativas no espaço da Sulanca de Caruaru que aglomera muita gente, inclusive de outros estados, para combater o medo por meio da ação educativa”, observou Laura Gomes.
 


23 de Fevereiro de 2018 às 09:18h

Processos de Lula, Geddel, Cunha e Alves no DF são transferidos para a 12ª Vara

Os processos envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, os ex-deputados Geddel Vieira Lima, Eduardo Cunha e Henrique Eduardo Alves, todos do MDB, além do doleiro e delator Lúcio Funaro, saíram da jurisdição do juiz Vallisney Oliveira, da 10ª Vara Federal, e foram transferidos para a 12ª Vara Federal, cujo titular é o juiz federal Marcus Vinícius Reis Bastos. São ações oriundas das operações Zelotes, Sépsis e Cui Bono. As ações referentes a esses réus já aparecem redistribuídas no sistema da Justiça Federal do DF.
 
A mudança dos processos é resultado de decisão do presidente do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), desembargador Hilton Queiroz, que, por meio de uma resolução, converteu a 12ª Vara Federal em unidade especializada em crimes contra o sistema financeiro e lavagem de dinheiro. Até então, apenas a 10ª Vara Federal atuava com esta especialização. Como a alteração só poderia ser feita em seção judiciária com pelos três varas criminais, a 15ª Vara Federal, que era de direito cível, foi convertida para o direito criminal, o que permitiu a alteração na 12ª Vara. Com as mudanças, os processos já estão sendo redistribuídos.
 
“A situação particular verificada na 10ª Vara Federal Criminal, que devido a sua especialização em crimes contra o sistema financeiro nacional e de lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores, concentra o acompanhamento de várias operações relevantes, das quais resulta uma enormidade de medidas judiciais e consequentes atos cartorários, e vem ocasionando considerável desequilíbrio entre os acervos das varas criminais”, diz um trecho da resolução que determinou a mudança.
 
A ação penal em que o ex-presidente é réu, oriunda da Operação Zelotes, já aparece em nome do juiz federal Marcus Vinícius Reis Bastos. Lula e seu filho, Luís Cláudio, são acusados dos crimes de tráfico de influência, lavagem de dinheiro e organização criminosa, sob a acusação de integrarem um esquema que vendia a promessa de interferências no governo federal para beneficiar empresas, inclusive na decisão de compra de 36 caças de combate militar da empresa suíça SAAB para a Força Aérea Brasileira (FAB). A defesa do ex-presidente nega as acusações.
 
Outro processo transferido da competência da 10ª Vara Federal em Brasília envolve as investigações de desvios no Postalis, fundo de pensão dos Correios, no âmbito da Operação Pausare, que será conduzido agora pela juíza federal Pollyanna Kelly Martins Alves, substituta da 12ª Vara.
 
Da Agência Brasil
 

22 de Fevereiro de 2018 às 11:41h

Temer participa de reunião do Conselho Militar de Defesa em Brasília

O Conselho Militar de Defesa está reunido nesta manhã (22), no Ministério da Defesa, com a presença do presidente Michel Temer. O encontro ocorre dias após o presidente decretar intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro. 
 
Na reunião serão discutidos assuntos como o orçamento das Forças Armadas em 2018, projetos estratégicos, base industrial de defesa e nova governança para o programa espacial brasileiro, de acordo com o Ministério da Defesa. Também será apresentado um balanço das ações de Defesa em 2017 e perspectivas para este ano. 
 
Essa é a primeira vez que um presidente da República faz visita oficial ao Ministério da Defesa e participa de uma reunião do Conselho. Geralmente, reuniões com o presidente ocorrem no Palácio do Planalto.
 
O Conselho Militar de Defesa faz assessoramento direto à presidência com relação a normas gerais relacionadas à organização, preparo e emprego das Forças Armadas. A presidência é do ministro da Defesa, Raul Jungmann. Participam da reunião  o ministro do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, Sérgio Etchegoyen; o Comandante do Exército, General Eduardo Dias Villas Boas; o Comandante da Marinha, Almirante de Esquadra Eduardo Leal Ferreira; o Comandante da Aeronáutica, Tenente Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato; e o Secretário-Geral do Ministério da Defesa, general do Exército Joaquim Silva e Luna.
 
Da Agência Brasil
 

22 de Fevereiro de 2018 às 11:33h

Prefeitura de Caruaru inicia segunda etapa de obras no Monte Bom Jesus

A Prefeitura de Caruaru anunciou que iniciará segunda parte das obras do Monte Bom Jesus. Agora será a fase da construção do anfiteatro e recuperação da escadaria principal, a qual irá receber corrimão de cima a baixo, além da recuperação da via sacra.
 
Orçada em R$ 1,4 milhão, através de recurso próprio e do Fundo de Desenvolvimento Municipal (FEM), a previsão é que as obras terminem até o fim de março. O projeto tem como objetivo principal a requalificação das condições de infraestrutura do Monte, valorizando as condições físico-ambientais e considerando a área como componente emblemático e estratégico de um sistema urbano, articulando o Monte com o restante da cidade.
 
A primeira etapa do projeto já foi concluída e consistiu na construção do receptivo turístico, barracas de tapioca e revitalização do entorno da igreja.
 

22 de Fevereiro de 2018 às 11:05h

Justiça obriga Prefeitura de Belo Jardim a demolir construções clandestinas nas margens de rio

A pedido do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), a Justiça determinou a proibição imediata das obras de aterramento e construção de imóveis realizadas por um loteamento às margens do rio Bitury, em belo Jardim, no Agreste pernambucano. O loteador deve fazer cessar qualquer atividade potencialmente danosa ao meio ambiente, sob pena de multa de R$ 2 mil por dia de descumprimento. Na mesma decisão, a Justiça também determinou ao município de Belo Jardim que embargue de imediato o loteamento clandestino e promova ação de demolição das seis casas já edificadas e de outras duas que estão em construção.
 
Além dessas medidas, determinadas em caráter liminar, a promotora de Justiça Sophia Wolfovitch Spinola também requereu à Justiça que os réus (loteador particular e poder público municipal) sejam condenados de forma definitiva a reparar os danos ambientais causados pelo aterramento e ocupação desordenada do leito do rio Bitury; a indenizar os prejuízos causados às pessoas que adquiriram os lotes, mediante a substituição dos imóveis por outros regularizados e em perfeitas condições de uso e ressarcimento das quantias pagas.
 
“A Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) informou à Promotoria que o loteador tinha autorização para construção de apenas uma residência, não várias. E o município, que deveria agir enquanto órgão fiscalizador para prevenir o dano ambiental, não se utilizou do poder-dever de polícia administrativa de maneira eficiente, pois limitou-se a solicitar a paralisação das intervenções, quando na verdade deveria embargar as obras”, detalhou a promotora de Justiça.
 
O MPPE também requereu a condenação de ambos ao pagamento de danos morais coletivos causados ao meio ambiente e à ordem urbanística.
 

22 de Fevereiro de 2018 às 10:40h

Pesquisa do CNI aponta índice de confiança maior do empresário

Uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira (22), pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostra que o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) continua forte em relação à economia.
 
O indicador permaneceu estável em fevereiro na comparação com o mês anterior, registrando leve variação de 59 para 58,8 pontos. Os números revelam que a confiança do empresário é a segunda maior desde abril de 2011, ficando atrás apenas do índice verificado em janeiro.
 
A confiança é maior nas grandes empresas, segmento em que o índice alcançou 60,4 pontos. Nas médias empresas, o indicador foi de 58,3 pontos e, nas pequenas, de 55,9.
 
De acordo com a pesquisa da CNI, apesar de o índice como um todo ter permanecido estável, houve alta na confiança industrial em 18 de 32 setores pesquisados. “O resultado de fevereiro mostra uma acomodação da confiança, após seis meses consecutivos de crescimento. Assim, a confiança do empresário permanece elevada”, afirma o economista da CNI Marcelo Azevedo.
 
Os dois indicadores que compõem o ICEI caminharam em sentidos opostos em fevereiro. Enquanto o Índice de Condições Atuais aumentou 0,1 ponto, para 53,2, o índice de Expectativas recuou 0,4 ponto, para 61,6. Os indicadores mostram que os empresários percebem melhora em suas condições de negócios e, mesmo com o leve recuo em relação às expectativas, seguem otimistas.
 
O ICEI antecipa tendências de investimento na indústria. Empresários otimistas em relação ao desempenho presente e futuro das empresas e da economia tendem a investir mais. O índice atual indica tendência de recuperação da atividade, criação de empregos e aceleração do crescimento econômico.
 
Essa edição da pesquisa foi feita entre 1º e 19 de fevereiro com 2.939 empresas, sendo 1.150 de pequeno porte, 1.111 médias e 678 grandes.
 

22 de Fevereiro de 2018 às 10:28h

Secretaria de Educação abre inscrição para Cursinho Popular

Estão abertas as inscrições para o Cursinho Popular Professor Edílson de Góis, mantido pela Secretaria de Educação de Caruaru. O curso é gratuito e as inscrições devem ser realizadas pelo site da Prefeitura. O interessado deve escolher em qual polo deseja estudar. As escolas disponíveis são Professor Machadinho, localizada no bairro São Francisco e a Josélia Florêncio, no São João da Escócia. 
 
São oferecidas 1200 vagas e o material didático é totalmente gratuito. As aulas terão início no dia 10 de março e acontecerão, exclusivamente, na escola Professor Machadinho, a partir das 14h. No sábado seguinte, dia 17 de março, as seguirão normalmente nos dois polos (Josélia Florêncio e Machadinho).
  
As vagas são destinadas penas para os alunos da rede pública de ensino ou bolsistas das escolas particulares. Para participar, os alunos deverão levar um quilo de alimento não perecível que será doado para instituições de caridade.
 

22 de Fevereiro de 2018 às 10:11h

Oposição cobra plano efetivo de prevenção de enchentes na Mata Sul

A conclusão das ações para evitar novas tragédias na Zona da Mata Sul, foi cobrada pelos deputados de Oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco, nessa quarta-feira (21). As ações foram prometidas, pelo governo do Estado, após as enchentes de 2010 e renovadas, pelo governador Paulo Câmara, após as chuvas de 2017.
 
Para o líder da Oposição na Alepe, deputado Silvio Costa Filho (PRB), as ações do Governo do Estado não podem se limitar à assistência às vítimas, que é importante, mas não evita novas tragédias. “Depois das chuvas de maio do ano passado, o governador instalou gabinete de crise, reuniu deputados estaduais, deputados federais, fez foto no Palácio, andou de helicóptero, prometeu destravar as barragens, mas nada avançou”, destacou o parlamentar.
 
O deputado lembrou ainda notícias divulgadas no ano passado, que afirmavam que as quatro barragens do sistema de contenção de enchentes precisariam de R$ 383 milhões para serem concluídas. A mais avançadas delas, Panelas, em Cupira, que teve 50% das obras realizadas, precisa de R$ 62 milhões para ser finalizada. “Só com o que gastou no ano passado com a Arena Pernambuco, R$ 29,4 milhões, e com publicidade, R$ 48,9 milhões, daria para ter concluído essa obra”, comparou.
 
Costa Filho ressaltou ainda que as agências de clima estão prevendo mais um inverno rigoroso este ano e as últimas chuvas na região, que provocou inundações em Barreiros, são uma prova de que existe risco de novas enchentes. “Segundo a Apac, temos previsão de um inverno rigoroso este ano e a população dos municípios da Mata Sul está apreensiva. Quando estivemos na região, com o Pernambuco de Verdade, encontramos uma série de obras paradas e promessas feitas ainda em 2010 e ainda não cumpridas. Também fomos procurados pelo movimento SOS Barragens, formado por empresários e comerciantes da região. Eles cobram a conclusão das barragens do sistema de contenção de enchentes na região, das quais apenas uma das cinco prometidas foi concluída”, relatou o parlamentar.
 

22 de Fevereiro de 2018 às 09:42h

Maia descarta criação de novos impostos para custear segurança pública no país


 
O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), descartou hoje (21) a criação de novos impostos no país. Segundo ele, o presidente da República teria consultado sobre a possibilidade da criação de um imposto para custear gastos com segurança pública.
 
“Aqui na Câmara, não passa a criação de nenhum imposto”, afirmou. “Informalmente o presidente [Michel Temer] perguntou e eu disse a ele que o único caminho que ele teria era uma Emenda Constitucional, que o próprio decreto de intervenção inviabiliza. Acho que não é essa discussão. Ao invés de se tratar de um aumento de receitas, a gente pode tratar da diminuição de despesas. Podemos começar diminuindo o número de ministérios, pode ser um caminho”, completou.
 
A discussão sobre o aumento de receitas ocorre após a divulgação do pacote de 15 propostas econômicas consideradas prioritárias pelo governo.
 
A lista de projetos foi apresentada nesta segunda-feira (19) pelo Palácio do Planalto e reúne os dispositivos legais que devem ser tratados como prioritários no Congresso em alternativa à proposta de emenda à Constituição (PEC) da reforma da Previdência. Com a intervenção federal no Rio de Janeiro, Câmara e Senado ficam impedidos de votar qualquer alteração à Constituição, como é o caso da reforma.
Apesar da declaração de Maia, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, afirmou que desconhecia o assunto de criação de novos impostos. “Não tenho conhecimento de nada nesse sentido. Nunca ouvi falar disso”, disse Marun. 
 
Nesta tarde, o ministro esteve na Câmara dos Deputados para apaziguar o clima entre os poderes Executivo e Legislativo após as reações negativas do presidente da Casa, deputado Rodrigo Maia, e do presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), sobre o anúncio do governo das medidas prioritárias.
“Nós reconhecemos e sabemos muito bem que a pauta [do Legislativo] é uma decisão dos presidentes das Casas Legislativas. O governo envia uma sugestão de priorização de alguns temas, que já estão em discussão aqui no Parlamento ou aqui na sociedade. Temas esses que entendemos que, se aprovados, melhorariam o ambiente da economia brasileira”, argumentou.  
 
Segundo o ministro, o tema poderia ter sido debatido com o Legislativo antes de ser divulgado. “Talvez, antes de anunciar nós devêssemos ter trazido aqui”, disse. “Mas isso já é coisa superada”, completou.
 
Da Agência Brasil